APROVEITAMENTO ENERGÉTICO DE BIOGÁS PRODUZIDO PELO TRATAMENTO DE EFLUENTES LÍQUIDOS URBANOS UTILIZANDO REATORES UASB


Ultimamente, os problemas ambientais associados com a utilização excessiva de combustível fóssil são notórios ao redor de todo o planeta. Como um recurso de energia sustentável alternativa, a importância das energias renováveis está aumentando progressivamente.

A produção e o consumo de energia de fontes limpas são de extrema importância para a proteção do meio ambiente e da manutenção da qualidade de vida das pessoas.

De acordo com as últimas informações do Ministério de Minas e Energia – MME 2016, as fontes renováveis de energias serão responsáveis por até 83,4% da geração de energia elétrica no Brasil ao final de 2016, sendo que em 2015, esse percentual era de 75,5%, um crescimento de 7,9%.

Uma alternativa se trata do aproveitamento do biogás produzido pelo tratamento de efluentes líquidos municipais, proveniente das Estações de Tratamento de Esgoto (ETE), utilizando a tecnologia UASB (Upflow Anaerobic Sludge Blanket) que consiste em uma das principais linhas para o tratamento de esgoto no Brasil, sendo que neste reator, se ocasiona a digestão anaeróbia para se obter o biogás, conforme Figuras abaixo:

figura1
Figura1: Reator UASB vazio

figura2
Figura2: Reator UASB cheio

O componente do biogás de principal interesse para processos de conversão energética é o gás metano, produzido através da decomposição da matéria orgânica encontrada nos efluentes.

Tomamos como exemplo para futuro projeto de implantação de Estação de Tratamento de Esgoto (ETE’s), o município de Poços de Caldas, cidade de médio porte, localizada no sul de Minas Gerais, e que segundo o IBGE possui uma população estimada de aproximadamente 165.000 habitantes em 2016. Considerando-se o período de 2015-2035, a produção média de biogás foi calculada como sendo de 2790,2 m³/dia e seu uso resultaria no potencial de produção de energia elétrica, em um valor médio de 5946,7 kWh/dia.

Ou seja, considerando que os lares brasileiros consomem 200 kWh/mês, a energia produzida por essa fonte nesta cidade, seria suficiente para abastecer cerca de 890 residências mensalmente.

Para colocar em operação um sistema de aproveitamento do biogás para conversão em energia elétrica, considerando custos com equipamentos para purificação do biogás, queimador, gasômetro, equipamentos de compressão e motor Otto nacional, os investimentos totalizariam R$ 2.759.360,92 para o caso em estudo. Ainda são poucas as Estações de Tratamento de Esgoto (ETE’s) que possuem sistemas para aproveitamento energético do biogás. Algumas estão localizadas em Sabará-MG, Rio de Janeiro-RJ, Barueri-SP.

Mais projetos como este, se tratariam de oportunidades potenciais para as ETE’s, tornando possível que haja geração de energia por uma fonte renovável nestes locais, com a possibilidade de suprir sua demanda interna de energia. Tendo em mente os benefícios que existem com instalações deste tipo, tais sistemas devem ganhar cada vez mais destaque em nosso país.

Para maiores informações, clique no link – http://revistas.ufpr.br/rber/article/view/43225 para acessar o artigo completo.


4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *